quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Inspiração do dia: reflexões e "Sem título, sem solução; sem conclusão"


     Nessas andanças que fazemos pelo mundo, é realmente compensador quando encontramos algo nos inspira, que nos dá vida, que nos faz pensar, e nos modifica, a tal ponto, que não podemos retornar ao que fomos há apenas poucos minutos atrás. 

     Venho, por sinal, falando e pensando e escrevendo muito sobre essa "transformação", esse momento único que nos eleva, que nos transmuta, talvez porque consiga, mais que nunca, percebê-la, tocá-la, senti-la, ser. Tenho me deparado com textos e músicas e pessoas que me abrem novos horizontes, e me fazem chegar à conclusão, sem ser piegas, de que nunca vou parar de aprender, e que nunca vou parar de me surpreender, e que nunca vou parar de crescer.

     Isso é realmente bom. É gratificante. É grande demais. E maravilhoso ao extremo. 

     Que eu nunca me canse de me admirar com o que há a minha volta; que eu possa ouvir o que os outros tem a me falar, intencionalmente ou não; que eu possa fazer jus a essa luz que sinto dentro de mim, e que me dizem que eu emano. E que eu possa, através dela, ajudar aos outros, e me conhecer por meio dela. E evoluir. E pensar nesse caminho que trilho não como um fim, mas como uma forma maravilhosa de alcançar coisas que jamais pensaria/penso/pensarei conhecer, e, poder chegar, através dele, àqueles que estão destinados - ou não - a me encontrarem. 

     E então, fui/sou/serei feliz.




     O texto abaixo é de uma moça que tem um dom maravilhoso de transformar pensamentos e sentimentos em palavras! E, através delas, de fazer aos outros refletirem.  Tenho a possibilidade de estar aprendendo muito com ela, e, assim, compartilho com você as linhas abaixo.

    E espero que possa ser inspirador de tal forma que seu dia seja lindo!



Sem título, sem solução; sem conclusão




     Na ânsia de escrever, me perco. Perco-me de mim, do mundo, de convenções e pré-conceitos. Por instinto ou propositadamente, me dispo de tudo que me esconde ou disfarça. Vejo-me e mostro-me nua e crua, assim como a verdade que tanto procuro. Despeço-me de preconceitos, desprendo-me de paradigmas e dou olá ao voo da liberdade. Despeço-me deste Mundo, desta anulação, dessas idas e vindas, e até de ti. E de mim também.

     Recuperada - se é que se recupera, e não se retorna - de tal viagem, jogo ao mundo o que apareceu. Em meio a isso, claro que aparecem erros de digitação ridículos, e pensamentos confusos, talvez. Os primeiros corrijo quando noto-os, os segundos faço questão de deixar como estão - ou melhor, como são -, pois sinto que neles está impressa minha alma.Palavras, palavras, palavras. Não sei me resumir. Se resumir é cortar, tirar, e procuro o inteiro. Acabo que também me perco, em meio a tantas palavras, e de alguma forma encontro a mim no fim da viagem.

     Acho que se perder é necessário, até para poder se achar depois.




Texto de Alice, originalmente disponível em seu blog, 

2 comentários:

  1. Ah, sua linda! Nem imagina o quanto fiquei feliz não só de ver que colocou mesmo meu texto aqui, mas também de ter a possibilidade de ler o que escreveu! Achei lindo, e devo dizer que você também tem o dom da palavra! Maravilhoso, até me deu idéia para um brotinho aqui.

    Também estou aprendendo muito contigo e espero que continuemos nessa inspiração conjunta!

    Beijos de corações, porque você merece e porque estou muito feliz! ♥

    ResponderExcluir
  2. Obrigada pelo lindo comentário, Alice!! Acho justo que outros conheçam suas palavras! E fico feliz ao saber que você também gostou das minhas!!

    Que a inspiração esteja em todos nós, e que sejamos todos abençoados por isso!! ^^

    Beijos!!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...