segunda-feira, 4 de fevereiro de 2013

Mori Girl, Dolly Kei e Lolita ~ Parte 2: Especificidades do Dolly Kei


     Eu lamento não ter salvo os artigos originais em word, para depois traduzí-los ~ em um ataque de raiva, por não conseguir compreender direito o texto, exclui a tradução quase completa da parte 3, achando que não me interessaria mais por ela ~, mas ok! 

     Como já escrevi anteriormente, Valerie Fujita, do antigo "Tokio Factory, Fashion And Art", em uma série de posts sobre mori girl, dolly kei e lolita, buscou esclarecer diferenças e semelhanças entre esses três estilos de moda urbana japonesa.

     O primeiro deles, que você pode ler em português aqui, observava o que mori girl, dolly e lolita poderiam haver em comum, desde sua origem até a constituição da estética e imaginário. As três postagens seguintes abordavam sobre a especificidade de cada uma dessas modas, dolly kei, lolita ("Where does it come from? Where is it going? ~ Long story short") e mori girl ("Natural? Not that simple..."), respectivamente.

     Vamos ao dolly kei, então!


Mori Girl, Dolly Kei e Lolita: comparação e tentativa de esclarecimento
Parte 2: Dolly Kei, um gosto antigo, um charme assustador


Vintage, antigo, místico... Especificidades do Dolly Kei

     Dolly Kei (ou Dolly Fashion, termo usado no Japão) é certamente o gênero mais difícil dessas três modas para dar uma definição, porque ainda é um estilo muito recente. No entanto, se tivéssemos de resumir essa moda em uma palavra, seria “antigo”. Porque Dolly Kei é uma cultura própria, um estilo brincando em visuais de bonecas antigas, gastas bonecas de porcelana que escondemos em nossos armários, algo místico e um tanto assustador. Uma forte estética é trazida para essa moda, cuidando muito mais de cada detalhe do que qualquer um poderia pensar.

     A silhueta do Dolly é obtida através de roupas EXCLUSIVAMENTE vintage, não importando se estão danificadas; além disso, são estimadas como símbolo de autenticidade. Portanto, vestidos, blusas, jaquetas, etc, são vendidos em seu estado natural; é por isso que você encontrará ocasionalmente blusas desgastadas e rasgadas, rendas danificadas, vestidos off-white parecendo bastante gastos.

     Nessa moda, de novo nós iremos notar o gosto dos japoneses por usar camadas sobre camadas, mas de um jeito realmente elaborado e bonito. Dolly Kei não exitará em sobrecarregar com fortes e diferentes padrões e acessórios com sua própria identidade. Na realidade, a harmonia da silhueta é trazida pelo aparente caos da mistura desses acessórios e roupas particularmente fortes. Contrário ao estilo Mori Girl, a linha da cintura é geralmente enfatizada por cintas atadas semelhantes a corsets ou cintos largos. Nós também notaríamos cinturas em estilo império. A saia guarda-chuva (godê) com um lindo volume é algo necessário a se ter. Silhuetas podem ser bastante longas ou bastante curtas, pois não há regras, ainda que na maioria das vezes garotas Dolly vão vestir meias com tons escuros e meias-calça com padrões de arabescos. Um roupão longo ou uma estola comprida substituirá um casaco comum ou uma jaqueta. Os padrões podem ser de arabescos, bem como algum motivo geométrico e floral. O fetiche do Dolly Kei é o visual dramático e, para isso, estima padronagens visivelmente fortes, como grandes flores e uma mistura de motivos geométricos de nossas antigas tapeçarias. Esses padrões trazem um humor cigano ou folclórico.





     Acessórios, como na moda japonesa em geral, são muito importantes. Pendentes antigos de cortinas de veludo são usados como cintos ou colares, trazendo uma impressão pesada para a silhueta, criando um novo tipo de harmonia. Bolsas também apresentam um visual de tapeçaria. Pequenas sacolas e bolsas dos anos 1920 parecem ser apreciadas. Esteja avisado que Dolly Kei tem um tipo de gosto mórbido. Torcem acessórios e itens para dar-lhes um novo significado e uma atmosfera assustadora. Quando usam peles de animais, gostam de vestir carcaças de raposas inteiras nos ombros. Grimoire propôs recentemente pequenos headdresses feitos à mão no formato real de pequenas cabeças de raposa, decorados com pérolas e flores de aspecto seco, e pendentes na forma de pequenas garrafas antigas contendo ossinhos de pássaros ou roedores.

     É um pouco complexo para dizer em qual período histórico essa moda é inspirada, mas parece ter um real apelo à Europa, entre a Idade Média tardia (sendo Idade Média o período entre a Antiguidade e o Renascimento (de 476 a 1453 ou 1492) e o Renascimento (séculos 14 a 16)), dos quais trouxeram de volta certa mística. Além disso, essa silhueta renascentista foi trazida pelo fato de Dolly Kei adquirir itens do guarda-roupa vintage dos anos 1970 de Gunne Sax (uma marca que fez a silhueta renscentista famosa como uma moda hippie) com vestidos de cintura império e abertura central, mangas bufantes apertadas abaixo do cotovelo e corsets atados.

     Parece que duas escolas de Dolly Kei estão coexistindo. Uma prefere cores como rosas suaves, brancos, pêssegos, lilases. Esse estilo é próximo do gosto de lojas como “Tarock” (Shibuya ku, Jingû Mae), “The Virgin Mary” (Shibuya ku, Jingû Mae). A segunda prefere tons escuros, como verdes, pretos, marrons, vermelho, azul e roxo. “Grimoire” (Shibuya ku, Shinnan), a mais famosa loja Dolly Kei de Tóquio, tem visto essa segunda escola, adquirindo uma crescente fama no exterior. Outros itens para Dolly Kei também podem ser encontrados em guarda-roupas vintage das lojas “Cabaret” (Shibuya ku, Shinnan) – o qual tem aparecido muitas vezes nas revistas “Fudge” e “Ginza” – ou “Rosy Baroque” (Shibuya ku, Shinnan).





Créditos:
✰ Original (texto e imagens): Mori Girl, Dolly Kei and Lolita Fashions – Comparison and attempt of clarification (Part 2) – Dolly Kei specificities
✰ Postado em: Tokio Factory, Fashion And Art (link quebrado)
✰ Tradução: Sayaka Hime

2 comentários:

  1. Adorei o post,eu não sei se conseguiria compor um visual Dolly Kei,mas eu tenho 2 vestidos vintages e planejo fazer uma tentativa.
    Eu acho a estética desse estilo encantadora,essa coisa meio mística,assustadora me encanta.

    ResponderExcluir
  2. É realmente interessante por essa mistura de étnico/folclórico com místico! É única! Confesso que não usaria, como as staffs da Grimoire, chapéus imitando cabeça de bichos, por exemplo. Eu curto mais o lado misterioso do que o macabro! ^^

    Boa sorte em sua tentativa!! Não sei quando poderei montar um outfit assim, porque acho super elaborado e gostaria de usar trocentas coisas que, agora, não tenho! Mas uma coisa é certíssima: se morasse no Japão, eu adoraria poder trabalhar em uma loja como a Grimoire e Mad Tea Party, ou ainda em uma que comercializasse itens cult party, como The Virgin Mary ou Meno!

    Obrigada pela visita e pelo comentário! ^^

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...